FALE COM O PRESIDENTE FALE CONOSCO Facebook Twitter Flickr
UGT


Home  >  Notícias
Home  >  Notícias

NOTÍCIAS

Ação antidrogas vai migrar para o Parque D. Pedro


16/04/2014

A Prefeitura de São Paulo começou a cadastrar moradores de rua, usuários de drogas e outras pessoas em situação de vulnerabilidade social que vivem no Parque D. Pedro, região central de São Paulo, para a implementação da segunda fase do programa De Braços Abertos, realizado pela administração municipal na Cracolândia.

 

Segundo o secretário municipal de Segurança Urbana, Roberto Porto, o Parque D. Pedro reúne "perfis diferentes" dos encontrados na região da Luz. De acordo com ele, ali há tanto usuário de droga quanto famílias que vivem nas ruas, sem envolvimento com o crack. Porto disse que ainda não há previsão para o início da operação no Parque D. Pedro.

 

Depois da Cracolândia, a área é uma das que mais preocupam a Prefeitura. "Ali é uma região que demanda uma atenção especial nossa", disse o secretário.

 

A operação na Cracolândia teve início em janeiro deste ano. Os usuários de droga da região começaram a ganhar R$ 15 por semana para fazer serviços de zeladoria urbana. Eles têm quartos em hotéis da região e acesso a serviços de assistência social e de saúde mensal.

 

Porto afirmou que a Prefeitura ainda não definiu que tipo de benefício será dado para a população que vive no Parque D. Pedro. A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social não informou a quantidade de pessoas que já foram cadastradas na região. Aproximadamente cem pessoas vivem no local.

 

Operação. O Parque D. Pedro começou a receber usuários de drogas e moradores de rua a partir de 3 de janeiro de 2012, quando as gestões do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) fizeram uma operação conjunta na Cracolândia. A ação foi batizada de Centro Legal e teve forte presença de policiais. No mesmo ano, o ex-prefeito realizou uma operação no Parque D. Pedro para retirar as barracas dos usuários de drogas.

 

A Guarda Civil Metropolitana ocupou o local, mas, nos últimos meses, novos moradores apareceram. Neste ano, a Prefeitura precisou instalar refletores sob o Viaduto 25 de Março, área onde os moradores de rua e dependentes químicos estavam se concentrando.

 

A iluminação afastou o grupo para os fundos do parque, próximo do muro da Estação D. Pedro II do Metrô.

 

Estufa. Na manhã desta terça-feira, 15, o prefeito Fernando Haddad (PT) esteve na inauguração de uma estufa no Complexo Prates, no Bom Retiro, região central, onde 20 dependentes químicos da operação "Braços Abertos" já estão recebendo capacitação profissional. Os dependentes químicos terão aulas de paisagismo, plantio, produção de mudas e também de compostagem.

 

Para Haddad, a atual operação na Cracolândia tem dado bons resultados. "Eu acho que as pessoas estão se recuperando visivelmente, eu conheço alguns há algum tempo e as condições de saúde estão melhorando", disse o prefeito.

 

"Estamos com 90 dias de programa e vemos uma evolução diferente. Supera a expectativa de muita gente", afirmou prefeito. "Já tem até movimento reivindicando aumento salarial", disse Haddad.

 

Fonte: Estadão


Categorizado em: Combate às Drogas,



logo

Sindicato dos Comerciários de São Paulo


Rua Formosa, 99 - Centro - Anhangabaú - São Paulo/SP - 01049-000 - Tel.: (11) 2121-5900
ugt